Monthly Archives: Outubro 2017

11 de Setembro de 2001

Existem as eras históricas: Pré-história, Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna, e a atual, a Idade Contemporânea.

Na classificação que virá a seguir seria talvez justo chamar o nosso tempo de Idade Tecnológica, afinal, depois da descoberta dos supercondutores nos anos 80, o mundo ingressou numa era de progresso tecnológico nunca antes imaginada. O conhecimento acumulado dobra a cada cinco anos.

Mas será conhecida por Nova Ordem Mundial, ou qualquer coisa do gênero, cujo início não datará da criação dos supercondutores que permitiram a criação de computadores poderosos, mas do 11 de Setembro de 2001. O 11 de Setembro, portanto, não diz respeito ao nosso passado, mas nosso futuro. Não somente da América, mas de todo mundo.

Não sei se você ainda vê o atentado da forma como ele foi vendido? Quatro aviões sequestrados por 19 terroristas muçulmanos liderados por Bin Laden, chefe da Al-Qaeda, dois deles jogados contra as Torres Gêmeas, um no Pentágono, e outro que veio a cair na Pensilvânia, que segundo dizem, tinha a Casa Branca ou o Capitólio como alvo.

Primeiro foram 5 atentados, incluindo a queda do WTC 7 por volta das 17 horas do mesmo dia. Desabou um prédio de 47 andares, anexo às torres, sem que tenha sido atingido por nada. Começou um incêndio leve por volta das 15 horas e às 17 desabou em queda livre. A imprensa mal divulgou o fato.

Segundo, sobre a queda do avião na Pensilvânia, voo 93 da United Airlines, com 7 tripulantes e 33 passageiros, o tal que iria para o capitólio ou para a Casa Branca, sabe-se com certeza o seguinte: não havia nenhum avião no local da queda, e consequentemente não foi encontrado nenhum corpo, nem nada que identificasse destroços de uma aeronave, como turbinas, pedaços de asas, bancos, bagagens, caixa preta, nada. Apenas um buraco no chão.

Terceiro, no caso do Pentágono, supostamente atingido pelo voo 77 da American Airlines, com 6 tripulantes e 53 passageiros, a mesma coisa. Foi atacado sem qualquer reação de defesa o prédio mais seguro do mundo por alguma coisa que não era um avião. Não se achou destroços, caixa preta, corpos, bagagens, nada que lembrasse um acidente aéreo. Ficou apenas um buraco enorme no muro.

Quarto, o voo 11 da American Airlines, com 11 tripulantes e 76 passageiros, atingiu a Torre Norte do WTC às 8:46 horas. Existe apenas uma filmagem do impacto, feita por bombeiros que trabalhavam na redondeza, onde dificilmente se vê com clareza qualquer avião. Parece muito mais um trabalho mal feito de editoração gráfica. De real ali só tem a explosão de alguma coisa.

Quinto, o voo 175 da United Airlines, com 9 tripulantes e 51 passageiros, atingiu a Torre Sul do WTC às 9:03 horas. Há várias filmagens, uma delas, da CNN, que mostra o mergulho aterrorizante de um avião contra o prédio.

Passada a comoção do evento as pessoas passaram a se perguntar sobre várias coisas inexplicáveis ocorridas aquele dia, uma delas que dá conta, segundo uma matéria da BBC de Londres publicada em 23 mês de setembro de 2001, que vários dos supostos terroristas estavam vivos. Também o jornal londrino Guardian publicou em 2002 uma entrevista com o pai de Mohammed Atta, suposto líder do grupo que sequestrou o voo 11 da AA. Seu filho, segundo ele, estava vivo e escondido por medo de ser assassinado.

Um parêntesis: Benazir Bhutto, duas vezes ex-primeira-ministra do Paquistão, foi assassinada em dezembro de 2007 durante uma campanha eleitoral. Dois meses antes de seu assassinato ela havia saído ilesa de um atentado em Carachi, em consequência do qual 139 pessoas morreram. Por conta deste primeiro atentado ela deu uma entrevista à TV (está no Youtube), acusando várias pessoas que participaram desta tentativa frustrada de assassina-la, entre elas, Omar Sheikh, que segundo Benazir, seria o homem que teria assassinado Bin Laden.

Mas Bin Laden só foi dado como morto em 2011, conforme anúncio bombástico do presidente Barack Obama. A verdade é que quando Obama anunciou sua morte ele já estava morto há tempos. Especula-se, conforme matérias da BBC e da própria Fox News, que ele teria morrido em dezembro de 2001, no mesmo ano do atentado. Desta maneira, alguém teria lembrado Obama que seria bom matar oficialmente Bin Laden, até porque na altura ninguém mais aguentava ouvir falar que ele era o responsável por todas as mazelas do mundo.

Mas voltemos à principal questão levantada: Como é possível que torres suportadas por estrutura de aço poderiam desabar em queda livre com duas horas de incêndio? Seriam os três únicos casos da história da construção civil, e todos no mesmo dia. Nenhum prédio construído sobre aço jamais desabou em consequência de um incêndio.

Mas houve a colisão de uma Boing 767, o que não é pouca coisa. Mas as torres foram construídas levando em conta esta possibilidade, porque 25 anos antes de ser construído o WTC, quando o Empire State era erguido em 1945, um avião militar B-25 se chocou contra o prédio na altura do  78º andar por causa de um nevoeiro sobre a cidade. Não aconteceu nada. Retiram os destroços, repararam os danos, a construção continuou, e o prédio está lá até hoje. Os engenheiros do WTC levaram isto em consideração quando projetaram as torres.

Centenas de estudos independentes executados por peritos em engenharia, entre os quais a Associação Americana de Engenheiros e Arquitetos, concluíram que as 3 torres foram implodidas. Foi isto que as trouxe abaixo em queda livre: uma implosão controlada.

Mas como seria possível aos terroristas da Al-Qaeda ingressarem nos prédios e não só isto, como poderiam, de posse das plantas, colocarem os explosivos em lugares absolutamente precisos sem serem notados? Não seria, ainda mais levando em conta que segundo os especialistas seriam necessárias 100 toneladas de nano termite para colocar abaixo as 3 torres.

Vi muitas entrevistas sobre familiares das vítimas que estavam nos aviões, uma delas, sobre um jovem chamado Jeremy Glick que estava no voo 93 da United que supostamente caiu na Pensilvânia. Como já foi dito não encontraram nenhum destroço de nenhum dos aviões. No caso deste voo em particular, por ter caído num local aberto, é fácil reconhecer que havia somente um buraco no chão. Não havia corpos nem nada que lembrasse um acidente aéreo. Mas desapareceram Jeremy, assim como os demais passageiros.

Mas se o avião não caiu, o que aconteceu com ele e com os demais? Vários pesquisadores chegaram à conclusão que todos os quatro voos pousaram e todos os passageiros foram assassinados, alguns depois de forçados a fazer ligações para familiares dizendo que estavam sendo vítimas de um sequestro. Acha absurdo? Fantasioso? Eu também achei quando li. Hoje já não acho.

A história do atentado está cheia de estudos disponíveis na internet, e não é nossa intenção aqui provar o fato dando detalhes de cada coisa que foi descoberta, apenas destacar a conclusão de todos: o atentado teve a participação do próprio governo americano. Gente séria chegou a esta conclusão, e os primeiros a divulga-la foram assassinados, e continuam sendo mortas pessoas, centenas de pessoas. A imprensa oficial se manteve e se mantém calada sobre o assunto.

A mesma gente que assassinou o presidente John Kennedy em 1963 fez o trabalho sujo de 11 de Setembro. Como consequência do atentado, direitos e liberdades civis dentro dos EUA foram suspensas. Revistas humilhantes em todos os aeroportos do mundo foram impostas e sobre o pretexto de segurança nacional a liberdade de expressão foi suprimida nos EUA e na Europa.

Você já percebeu que qualquer ato de insanidade perpetrado por um maluco que atropela pessoas na rua é rotulado de terrorismo? Que tem sempre uma franquia terrorista para reivindicar o atentado? Percebeu que há hoje leis que são universais e que a pretexto de proteger minorias não têm outro efeito senão disseminar o ódio? Percebeu como a ordem natural da vida instituída por Deus foi subvertida de uma hora para a outra? Que onde Deus disse homem e mulher pode ser lido homem e homem ou mulher e mulher? Como as famílias veem sendo destruídas no seu propósito fundamental? Como as crianças têm sido ensinadas que têm o direito de decidir o gênero que terão conforme sua conveniência? Que o salário mensal de um trabalhador no terceiro mundo vale menos que um cartucho de tinta de uma impressora HP?

Leio uma notícia no site Gopspelmais de 2 de Outubro de 2017. Reproduzo um trecho: “Uma lei aprovada recentemente por ampla maioria definiu que pais que não aceitarem a ideologia de gênero perderão a guarda dos filhos. A polêmica lei despertou enorme preocupação em cristãos em geral, que veem na medida uma forma de imposição e abuso de autoridade. A lei foi aprovada na província de Ontário, no Canadá, por 63 votos contra 23, e cria condições para que o Estado intervenha nas famílias contrárias à ideologia de gênero e tomem as crianças que venham apresentar confusão quando à sua identidade em relação ao sexo biológico, se os pais não aceitarem submete-las a um tratamento para mudança de gênero.”

É este o carater do império que assumirá em breve o controle do mundo. É o mesmo que assassinou os trabalhadores das torres em suas mesas num dia ensolarado de outono. Matou propositalmente dezenas de bombeiros que subiam a pé as escadarias dos prédios na intenção de salvar vidas. O que você espera deste monstro quando vier a nos governar? Justiça social? Segurança?

Tudo isto tem a mesma origem, o inferno. O Apocalipse diz que o próprio diabo daria a este império o seu poder. Comprova-se que de fato deu.

Sabe que da minha parte, vez por outra, quando eu leio notícias absurdas que dão conta do grau da degradação moral do homem no tempo presente, da violência, da fome, do terror, eu sempre me incluo na culpabilidade de todas estas coisas. Sabe por que? Porque quando eu volto pra casa, todos os dias, a pergunta que me faço é se eu agi como Jesus teria agido se estivesse no meu lugar. E a resposta é quase sempre não. E se é não, o meu pecado, por menor que tenha sido, se somou aos pecados de bilhões de pessoas naquele dia, alguns pequenos, alguns absolutamente vis, de maneira que não fiz outra coisa senão engrossar o caldo.

Então, meu irmão em Cristo, minha irmã, quando eu e você compactuamos com o pecado, por menor que ele seja, nós compactuamos com o mundo e com o estado de falência moral em que ele se encontra.

Às portas da volta do Senhor vê-se cristãos preocupados se passarão ou não pela tribulação. Outros se Deus vai abençoar suas vidas com bens materiais; outros com coisas igualmente abjetas, de maneira que pouco ou nada se pode esperar da maioria da cristandade.

Lute muito pra ficar fora disto, porque quando chegar o tempo, seremos chamados a mostrar com clareza nosso testemunho em favor do Evangelho, e muitos não o farão.

Anúncios

Comentários Desativados em 11 de Setembro de 2001

Filed under Uncategorized

Dois grandes eventos em nosso horizonte: a instalação de um governo global e o arrebatamento

Se durante todas as eras se falou da volta de Cristo, há hoje, em vista dos sinais que se manifestam, a impressão geral no meio cristão que não tarda o Senhor.

Não falta nada, absolutamente nada. Todas as profecias necessárias para permitir a volta de Jesus já foram cumpridas, de maneira que nada impede que o fato se consume a qualquer momento.

Há, portanto, dois grandes eventos em nosso horizonte: o arrebatamento dos crentes fiéis a Cristo, e a instalação de um governo global, sob o qual de se desenrolará a grande tribulação. Trata-se do quarto império destacado pelo Profeta Daniel, a besta descrita por João em Apocalipse 13.

De fato, consolida-se diante de nossos olhos este império, que segundo Daniel seria, e é, como podemos constatar, diferente dos que o antecederam.

Veja que se o que nos motiva é o fato, e não somente o desejo de que a volta de Jesus se consume em breve, pode-se afirmar que este império que já existe, e difere dos demais que o antecederam porque não se firma somente no poder militar, mas no poder financeiro. O mundo é hoje dominado não pelas superpotências militares, mas pelo dinheiro, a quem estas superpotências obedecem cegamente. É o poder financeiro quem controla os governos e deles se serve para expandir seus interesses.

Os mais jovens podem analisar a história recente, tendo em vista, por exemplo, os eventos posteriores a 2001, depois da queda das Torres Gêmeas em Nova Iorque, usadas pelos Estados Unidos como pretexto para invadir o Afeganistão, depor Saddam Hussein no Iraque e em seguida Muammar Kadafi na Líbia.

O objetivo destas guerras nunca foi o combate ao terrorismo, mas sim o controle do tráfico da heroína produzida no Afeganistão, e do petróleo iraquiano e líbio.

Já as gerações anteriores se lembrarão de fatos pregressos, como a deposição do ex-primeiro ministro do Irã, Mohammed Mosaddeq, em 1953, por contrariar interesses da Anglo-Iranian Oil Company, a atual BP – British Petroleum; ou de Salvador Allende, presidente do Chile, assassinado em 1973 depois de nacionalizar as riquezas do subsolo chileno, o que contrariou interesses das empresas americanas exploradoras de cobre; ou de Arbenz Guzman, presidente da Guatemala, assassinado em 1954 depois de fazer a reforma agrária que retirou da americana United Fruit Company o monopólio agrícola no país; ou de Jaime Roldós, presidente do Equador, assassinado em 1981 por se opor aos interesses das petrolíferas americanas; ou de Omar Torrijos, presidente do Panamá, também em 1981, impedindo assim que se consolidasse um acordo com os japoneses para a ampliação do Canal do Panamá. Estes fatos estão amplamente detalhados no livro “ Confissões de um Assassino Econômico” de autoria de John Perkins sobre o qual falaremos adiante.

A lista de abusos cometidos por empresas que comandam governos é interminável, e hoje (2017), se lê nos jornais o mesmo emprenho do império para derrubar os governos da Síria, Coreia do Norte e Venezuela, usando as mesmas táticas de sempre, e pior, com o apoio da maioria da maioria das pessoas comuns, porque estas formam seu juízo sobre o acontece no mundo através de jornais e noticiários das grandes emissoras de rádio e TV.

Não seja um destes que toma por verdade o que diz a mídia, porque esta expressa a sua versão do fato, e a versão é sempre condizente com o que o sistema determina. O governo venezuelano, por exemplo, é um governo medíocre, como também é medíocre o governo brasileiro. São farinha do mesmo saco, mas daí a financiar o caos interno como faz a CIA americana é outra estória.

Não foi Jesus que chamou Satanás de “príncipe deste mundo”? Não foi Satanás quem ofereceu ao Senhor o poder terreno em troca de adoração? Então de que maneira a imprensa como os demais poderes não estariam em suas mãos? A mídia oficial, mídia chapa-branca, está a serviço das trevas, assim como as demais entidades que exercem poder sobre as nossas vidas.

Veja o exemplo do Brasil e de tantos outros países onde a imprensa massacra corruptos, o que é louvável, mas tudo isto não passa de um chamariz para nos deixar alheios e desinformados sobre o que realmente acontece no mundo. Diante da realidade mundial a lava-jato no Brasil, ou a mediocridade do governo venezuelano não passam de um roubo de manga no quintal do vizinho.

Para quem ainda não sabe, o mundo todo faliu. O dólar americano que controla o comércio mundial está falido. Os EUA possuem hoje uma dívida de mais de 20 trilhões de dólares. O mundo, ou seja, os bancos centrais de todos os países devem aproximadamente 250 trilhões de dólares. Imagina o que significa isto?

Veja que as crises causadas por bolhas no mercado financeiro foram crises de empresas, enquanto a atual é uma crise de governos.

Em 2008 tivemos a bolha causada pelo “subprime” americano: Bancos de investimento, agências de rating e seguradoras perpetraram à luz do dia o maior assalto a investidores já visto na história da humanidade. Mentindo a seus investidores, geraram para si  bilhões de lucro e depois se declararam insolventes, de maneira que apelaram para os governos de seus países salvá-las. E claro que salvaram.

Na transição de Bush para Obama os dois governos colocaram nas contas bancárias dos mesmos que geraram a crise cerca de 2 trilhões de dólares, trilhões com T, ou seja, roubaram uma montanha de dinheiro através de fraude planejada e receberam uma cordilheira de dólares em recompensa. Ganharam duas vezes. E quem pagou? O contribuinte americano. A mesma coisa aconteceu na Alemanha, no Japão e em vários outros países. Ficou conhecido o jargão “ grande demais para quebrar”, porque se estas empresas quebrassem, quebravam a economia do mundo.

Mas hoje a coisa é imensamente pior porque quem está quebrado desta vez são os governos, ou seja, os bancos centrais, o que nos leva a questionar: quem vai salvá-los? Ninguém, e assim está posto o pano de fundo da crise que culminará num governo mundial.

Se o dólar está falido o que irá substituí-lo no comércio internacional? Talvez o SDR (Special Drawing Right – Direito Especial de Saque) do  FMI (Fundo Monetário Internacional) venha a se transformar em unidade monetária para este propósito, ou mesmo uma cripto moeda como o bitcoin ou o ethereum. Na prática ninguém sabe, mas o que se sabe é que a falência do dólar americano e consequentemente da economia americana são inevitáveis.

A China jogou recentemente a pá de cal sobre o dólar quando lançou um substitutivo ao petrodólar, quer seja o yuan (moeda chinesa) conversível em ouro, o que significa que a China propõe pagar suas importações de petróleo em moeda nacional (yuan) conversível em ouro.

Países como Rússia, Irã, e toda SCO – (Shanghai Cooperation Organization) – Organização de Cooperação de Changai aderiram ao processo de arquitetura de um novo sistema monetário alternativo ao dólar sem a interferência do FMI.

A SCO é um bloco composto pela China, Rússia, Cazaquistão, Usbequistão, Tadjiquistão, e Quirguistão, e deve contar brevemente com o ingresso da Índia e do Paquistão.

Considere-se ainda que China e Rússia lideram os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Somados, todos estes blocos, representam mais da metade da população do planeta, e por ser uma alternativa concreta de escapar às sanções comerciais impostas pela Secretaria de Estado americana ou pela ONU, obviamente ingressarão no coro todos os países pressionados por embargos, como Venezuela, Síria, Coreia do Norte, entre outros.

É digno de nota, no caso do Brasil, que do ponto de vista econômico o país faça parte dos BRICS por decisão do ex-presidente Lula, que se por um lado nos arranjou tantos problemas, por outro talvez tenha nos colocado, ainda que por teimosia, não no lugar certo, na hora certa, mas no lugar menos ruim, considerando a hecatombe que está por vir. O tempo dirá.

De acordo com Apocalipse 13, em breve viveremos num mundo em que ninguém poderá “comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.” (v 17). Como chegaremos a isto?

Primeiro, sabendo que chegaremos, porque assim diz a Palavra de Deus. Segundo prevendo que haverá um caos de tamanha proporção que permitirá uma grande aliança global de nações debaixo de uma única autoridade.

Os nacionalistas diriam que é impossível, mas os nacionalistas talvez não saibam que nacionalismo é um sentimento que nada tem a ver com a realidade. O pragmatismo do mundo financeiro nos levará a isto.

Os ingredientes do caos já estão sendo cozinhados na panela global. Antes que ele chegue a igreja de Cristo será arrebatada deste mundo. Não a igreja nominal, mas apenas os vencedores destacados nos capítulos 2 e 3 de Apocalipse. O resto fica para a tribulação.

Foi Jesus quem disse: “Assim também vós, quando virdes sucederem estas coisas, sabei que já está perto, às portas.” (Marcos 13:29).

Comentários Desativados em Dois grandes eventos em nosso horizonte: a instalação de um governo global e o arrebatamento

Filed under Uncategorized