A Guerra dos Judeus contra os Romanos – Parte 3 – A Guerra Civil dentro de Jerusalém

Neste tempo formava-se dentro de Jerusalém um terceiro grupo de malfeitores oriundo da divisão do partido dos zelotes, aos quais Josefo chama de animais por seu ódio gratuito e brutalidade. Eram, portanto, três grupos dentro da cidade a se atacarem mutuamente, bem como as populações que estavam em seu caminho.

Em seu futuro breve, quando Tito já houvesse conquistado Jerusalém, Josefo diria: ” Cidade infeliz, que sofreste de semelhante, depois que os romanos, entrando pela brecha, reduziram-te a cinzas, para purificar com o fogo, tantas abominações e crimes que atraíram sobre ti os raios da vingança de Deus.

Poderias continuar a ser o lugar adorável, onde ele tinha estabelecido sua morada e ficar impune, depois de ter pela mais sangrenta e cruel guerra civil, como nunca se viu, feito de seu Templo, o sepulcro de teus concidadãos? Não desesperes, porém, em acalmar sua cólera, contanto que teu arrependimento iguale a enormidade de tuas ofensas. Mas devo conter meus sentimentos, pois que a lei da história em vez de me permitir deter-me para chorar minhas desgraças, obriga-me a apresentar a sequência dos tristes efeitos de nossas funestas divisões.” (Ibid, 377)

Esses três partidos opostos agiam uns contra os outros em Jerusalém, tendo o Templo como campo de batalha; isto no sentido literal da palavra, uma vez que lá todos lutavam por sua posse por estar localizado nas partes mais altas da cidade. Acrescente-se ainda que nas imediações do Templo havia um grande depósito de trigo que terminou por ser incendiado, causando assim uma grande carestia de alimentos, o que veio afinal, trazer grande fome e maior sofrimento à cidade.

Josefo descreve desta forma a situação da cidade: “No meio de tantos males que afligiam Jerusalém de todos os lados e que tornavam aquela infeliz cidade como um corpo exposto ao furor das feras mais cruéis, os velhos e as mulheres suspiravam pelos romanos e desejavam ser libertados por uma guerra estrangeira, das misérias que aquela guerra doméstica os fazia sofrer.

Jamais desolação foi maior do que a daqueles infelizes habitantes; qualquer resolução que eles tomavam, não achavam meio de a executar; nem podiam fugir, porque todas as passagens estavam guardadas; os chefes desses partidos tratavam como inimigos e matavam a todos os de que suspeitavam querer se entregar aos romanos e a única coisa em que estavam de acordo, era dar a morte aos que mais mereciam viver.

Ouviam-se dia e noite os gritos dos que lutavam, uns contra os outros; por maior impressão que causasse o medo nos espíritos, os lamentos dos feridos feriam-nos ainda mais; tantas desgraças davam sem cessar novos motivos de aflição, mas o temor sufocava as palavras e por uma cruel imposição retinha os suspiros no coração; os servidores haviam perdido todo o respeito por seus senhores; os mortos eram privados da sepultura, todos se descuidavam de seus deveres porque não havia mais esperança de salvação; a horrível crueldade daqueles facciosos chegou a incríveis excessos: eles faziam montes de corpos dos que haviam matado, espezinhavam-nos e deles se serviam como de um campo de batalha onde combatiam, com tanto furor, que a vista de tão espantoso espetáculo, obra de suas mãos, aumentava ainda o fogo da ira que lhes incendiava o coração.” (Ibid 380)

1 Comentário

Filed under Uncategorized

One response to “A Guerra dos Judeus contra os Romanos – Parte 3 – A Guerra Civil dentro de Jerusalém

  1. HILDEBRANDO BARBOSA GOMES

    É LAMENTÁVEL A SITUAÇÃO DOS JUDEUS,MAS O SENHOR AVISOU O QUE HAVERIA DE ACONTECER. E ACONTECEU.