A Ceia do Senhor

A ceia pascal, como já vimos, é composta da carne do cordeiro sacrificado, além do pão ázimo, e de ervas amargas. As ervas amargas representam os dias de sofrimento no Egito, enquanto o pão sem fermento representa a pressa dos hebreus em deixar aquele lugar.

Já a Ceia do SENHOR, a última ceia de Jesus, não tinha estes elementos. Havia, sim, o pão, que o texto bíblico não informa se levedado ou não, além do vinho, algo que não faz parte da ceia pascal.

Se Jesus tivesse comido a Páscoa, certamente haveria à mesa estes elementos, as ervas amargas, o cordeiro e o pão sem levedura. Em Mateus 5:17 o próprio Jesus afirma: ” Não cuideis que vim destruir a Lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir”, e se estivesse cumprindo a Lei, tais elementos estariam à mesa, mas não estavam, o que nos faz concluir que não era de fato a ceia pascal, conforme a informação de João.

Ano 30 DC – 13 de Nisan – Terça-feira – a preparação da Ceia do Senhor
A crucificação de Jesus veio a acontecer, de acordo com a maneira dos judeus contarem o tempo, no mesmo dia da crucificação. Embora a Ceia tenha ocorrido à noite e a crucificação na manhã seguinte, trata-se do mesmo dia, pois para os judeus o dia se inicia no por do sol, e não no alvorecer.

Se por um lado Mateus, Marcos e Lucas aparentemente apontam para a crucificação na sexta-feira, por ser véspera de sábado, que supostamente, conforme se crê, seria a Páscoa, João afirma que ela ocorreu antes disto.

Estar ciente de que a Bíblia é a Palavra de Deus, não é só o aspecto mais importante da interpretação da Escritura, mas sim, o único que devemos ter em mente, pois, sendo a Palavra do próprio Deus, a Bíblia é perfeita em cada mínimo detalhe, e sendo assim, não devemos temer colocá-la à prova em circunstância nenhuma.

Ora, se a Palavra de Deus é perfeita, temos que entender que ambas versões falam da mesma coisa, e desta forma nos resta entender o significado das narrativas dos sinóticos. Tomemos como material de análise o texto de Lucas 22:7-14, uma vez que Marcos e Mateus se estruturam da mesma forma.

A narrativa de nenhum dos evangelhos segue uma linha cronológica. Não é possível, desta forma, estabelecer com precisão nem a cronologia da maioria dos eventos da vida de Jesus, e nem tampouco ordenar a sequência dos acontecimentos com certeza absoluta. Também os evangelhos não têm o propósito de contar a história de Jesus.

Os evangelhos se completam e se harmonizam. Se não tivéssemos, por exemplo, o Evangelho de João, concluiríamos que o ministério de Jesus teria durado cerca de um ano, e não três. Não tivéssemos Lucas, não saberíamos com precisão a data do batismo de Jesus, e desta forma, a preocupação dos redatores não é narrar a história de Jesus, mas sim, os seus ensinamentos. E se não narram a história, por que esperar que os capítulos estejam cronologicamente ordenados?

É o caso dos relatos dos três sinóticos: nenhum deles poderia estar dizendo que no dia dos ázimos, 14 de Nisan, Jesus mandou que os discípulos fossem preparar a Páscoa. Quando o verso 7 de Lucas, no caso que estamos examinando, diz que chegou o dia dos ázimos, não está se referindo que naquele dia Jesus mandou preparar a Páscoa, mas sim que naquele dia comeu a Páscoa com os discípulos, que por suposto, teria sido preparada anteriormente. Se discordarmos disto, fazemos o Evangelho de João mentiroso, uma vez que ele afirma que a data foi outra.

Uma forma melhor de entender esta explicação é ler o texto referido (Lucas 22 7-14) colocando o verso 7 em seu real contexto cronológico, querendo assim significar a data da Ceia, e não da preparação. Vejamos como fica:

Lucas 22
8 E mandou a Pedro e a João, dizendo: Ide, preparai-nos a páscoa, para que a comamos.
9 E eles lhe perguntaram: Onde queres que a preparemos?
10 E ele lhes disse: Eis que, quando entrardes na cidade, encontrareis um homem, levando um cântaro de água; segui-o até à casa em que ele entrar.
11 E direis ao pai de família da casa: O Mestre te diz: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos?
12 Então ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado; aí fazei preparativos.
13 E, indo eles, acharam como lhes havia sido dito; e prepararam a páscoa.

7 Chegou, porém, o dia dos ázimos, em que importava sacrificar a páscoa.

14 E, chegada a hora, pôs-se à mesa, e com ele os doze apóstolos

Não estamos aqui alterando a Escritura, mas sim, propondo um arranjo cronológico diferente que nos possa permitir entender qual assunto está em foco. Entendendo desta forma, que a narrativa está datando a Ceia, e não o dia dos preparativos, os textos sinóticos se alinham perfeitamente ao de João, sem qualquer conflito.

No dia 13 de Nisan, terça-feira, os apóstolos prepararam a Ceia, que foi tomada por Jesus e seus discípulos depois do por do sol daquele dia, quando já iniciava um novo dia, o dia da preparação, 14 de Nisan.

About these ads

5 Comentários

Filed under Uncategorized

5 responses to “A Ceia do Senhor

  1. Francisco Muller

    A Ceia nos dias de hoje deve ser preparada com pão sem fermento?

  2. Oi Francisco. O texto bíblico não informa se o pão usado na Ceia do Senhor era ou não fermentado.
    Para nós, o importante não é a questão do pão ser ou não fermentado, mas sim, cumprir o memorial ordenado pelo Senhor até a Sua volta.
    Ademais se houvesse alguma importância nisto, certamente Jesus teria dito explicitamente, e não disse.
    Um feliz ano novo para você.

  3. Claudemir Andrade Lucas

    A ceia do Senhor Jesus não foi na sexta- feira? Não comeu o senhor e seus dicipulos a ceia ,e logo mais proximo a meia noite Jesus foi traido e entregue aos Judeus para ser julgado no tribunal religioso de Caifaz?
    Como vçs dizim que a ceia do Senhor foi na terça-feira.

  4. Oi Claudemir, como está?

    De acordo com a Bíblia não há qualquer indício da Ceia ter acontecido numa sexta-feira, é uma tradição católica que a reforma não tomou conhecimento. É um assunto extenso que é explicado nos capítulos anteriores. Leia se possível.

    Toda festa religiosa dos judeus, conforme a Lei, é um sábado, independente do dia da semana em que caia, como no caso da Ceia.

    Abc

  5. Marco

    Shalom irmãos! Baruch hashem , é muito importante que estas e outras dúvidas sejam esclarecidas,eles não podem mais esconder a verdade ,pois agora o acesso a informação é livre ,é para todos ,só não sei por quanto tempo.enquanto isto vamos adorando o SENHOR e guardando conhecimento.Agradesso a DEUS por vocês .O meu sincero SHABAT SHALOM.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s