15 a 17 de Nisan – quinta, sexta e Sábado no seio da Terra – o sinal do Profeta Jonas

Um dos principais textos contrários à tese da sexta-feira é a referência dada pelo próprio Senhor Jesus quando os fariseus lhe pediram um sinal, ao que ele respondeu: “Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém, não se lhe dará outro sinal senão o do profeta Jonas; Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.” (Mateus 12:40)

Se Jesus foi sepultado na sexta-feira, obviamente não teria cumprido os três dias e três noites, uma vez que ressuscitou no domingo.

Os que são a favor de manter a sexta-feira como dia da crucificação entendem que Jesus teria empregado aqui uma expressão idiomática, o que é de fato sustentável à luz da própria Bíblia. Gênesis 42:17-18, por exemplo, relata o confronto de José com seus irmãos no Egito: “E pô-los juntos, em prisão, três dias. E ao terceiro dia disse-lhes José: Fazei isso, e vivereis; porque eu temo a Deus.”  Neste caso a expressão três dias e três noites tem o mesmo valor que três dias. Outro exemplo pode ser visto na passagem em que os amalequitas saqueiam Ziclague e levam cativas as esposas de Davi em 1 Sm 30:7-13, onde também três dias e três noites têm o mesmo valor que três dias.

Ao se aplicar, no entanto, o sentido literal às palavras de Jesus, partindo do domingo, como dia da ressurreição, teríamos que entender que o Senhor ficou sepultado o dia e a noite do sábado, o dia e a noite da sexta-feira, e o dia e a noite da quinta-feira, e desta forma teria sido crucificado na quarta-feira, e sepultado nas primeiras horas da quinta-feira.

A quinta-feira deve ser objeto de certa reflexão acerca do tempo que José de Arimateia teria para cuidar do sepultamento de Jesus depois de ser dado como morto às 15 horas daquele dia, cerca de 4 horas antes do início do novo dia. Seriam estas 4 horas tempo suficiente para José de Arimateia ir ao palácio do governador, obter a autorização de Pilatos, retornar ao Calvário, tirar Jesus da Cruz, limpar seu corpo e enterrá-lo? Vejamos os fatos:
1 – Jesus foi crucificado às 9 horas da manhã, conforme nos relata Marcos 15:25: “E era a hora terceira, e o crucificaram.”
2 – Marcos 15:34 e Mateus 27:46 nos informam que Jesus morreu às 15 horas, hora nona do horário judaico.
3 – Lucas (23:50-54) e Marcos (15:42-46) relatam que José de Arimateia pediu a Pilatos o corpo de Jesus para ser sepultado.

Vejamos o texto de Marcos: “E, chegada a tarde, porquanto era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado, chegou José de Arimateia, senador honrado, que também esperava o reino de Deus, e ousadamente foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus. E Pilatos se maravilhou de que já estivesse morto. E, chamando o centurião, perguntou-lhe se já havia muito que tinha morrido.  E, tendo-se certificado pelo centurião, deu o corpo a José; o qual comprara um lençol fino, e, tirando-o da cruz, o envolveu nele, e o depositou num sepulcro lavrado numa rocha; e revolveu uma pedra para a porta do sepulcro.”

Os textos não dizem se José de Arimateia estava presente no Calvário quando Jesus morreu. Seria mais provável que estivesse em Jerusalém já preocupado com o sepultamento, e desta forma, quando chegou a notícia da morte de Jesus, solicitou uma audiência com o governador, e só depois de ter o seu consentimento foi sepultá-lo.

Quem provavelmente retornou do Calvário com a notícia teria sido o centurião a quem Pilatos indagou, ou mesmo outro soldado, que teria gasto pelo menos uma hora entre certificar a morte de Jesus e chegar a Jerusalém, considerando que o Calvário está próximo a uma das entradas da cidade.

José gastaria então uma hora na melhor das hipóteses para conseguir e terminar a audiência com Pilatos, e mais meia hora para retornar ao Calvário.

Retirar Jesus da Cruz, limpar o seu corpo, respeitar o pranto de sua mãe, João, das outras mulheres e demais seguidores de Jesus, e depois transportá-lo ao local do sepultamento  com certeza não tomaria menos de duas ou três horas, sendo que qualquer destas hipóteses faria com que Jesus fosse sepultado no anoitecer, ou seja, quando já teria iniciado um novo dia na contagem de tempo judaica, e desta forma, o dia do sepultamento já não seria o mesmo dia da morte do Senhor, mas sim um novo dia, o SÁBADO.

Temos que fazer então duas reflexões: uma que conforme vimos ao tratar das festas judaicas, nem sempre o Sábado é o dia seguinte à sexta-feira; o  segundo ponto se refere ao princípio de nossa análise: Jesus, para cumprir literalmente o sinal de Jonas deveria ter morrido na quarta-feira e desta forma ser sepultado nas primeiras horas da quinta-feira. Desta  forma se cumpriria integralmente sua própria profecia e consequentemente teria sido crucificado na quarta-feira, 14 de Nisan, mesmo dia em que se prepara a Páscoa, o chamado dia da preparação até os dias de hoje, dia em que o cordeiro é sacrificado.

Muitas de nossas interpretações acerca da crucificação de Jesus são influenciadas pela tradição e, sobretudo, pelos filmes, pois como se sabe, uma imagem vale mais que mil palavras.

14 comentários

Filed under Uncategorized

14 responses to “15 a 17 de Nisan – quinta, sexta e Sábado no seio da Terra – o sinal do Profeta Jonas

  1. Pingback: Índice | Cronologia da Bíblia

  2. dayane

    é certo guardar o sábado?

    • Oi Dayane,
      É certo guardar o sábado?
      A questão da guarda do domingo ao invés do sábado por parte dos cristãos é interessante, principalmente porque não há nenhum texto no Novo Testamento que revogue de maneira clara a guarda do sábado, e mesmo assim guardamos o domingo. A lei é forte. Ex 31:14 diz que “guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo.”
      Mas veja também que não guardamos a circuncisão, nem fazemos sacrifícios de animais, nem apedrejamos os adúlteros, ou matamos filhos desobedientes, ou pagamos olho por olho, dente por dente, conforme também prescrevia a Lei de Moisés.
      Foi o próprio Senhor Jesus quem disse que “a lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele.” (Lucas 16 : 16)
      Especificamente sobre o sábado Paulo diz em Colossenses: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo. Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão, E não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus. Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne. (Cl 2:16-23)
      Hebreus capítulo 7, falando sobre a superioridade de Jesus como sacerdote diz que “o mandamento anterior é anulado por causa da sua fraqueza e inutilidade. Pois a lei nunca aperfeiçoou coisa alguma, e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus” (Hb 7.18-19).
      Poderíamos lembrar inúmeras outras passagens que que nos fazem concluir que o gradativo abandono da Lei tinha por objetivo revogar na consciência dos crentes o mérito da obra em favor da graça de Deus que dispensa qualquer rito religioso, uma vez que a essência do Evangelho é crer em Jesus.
      Mas a mudança da guarda do sábado pelo domingo não aconteceu por força de lei alguma, mas foi uma consequência da necessidade de marcar a diferença entre o judaismo e o cristianismo.
      Veja que em Atos dos Apóstolos, Paulo, quando chegava a uma cidade ia no sábado à sinagoga pregar a Cristo. Pregava também durante a semana, mas invariavelmente no sábado estava na sinagoga, dia de pegar todos os judeus reunidos num mesmo lugar.
      Atos dá testemunho que muitos judeus se convenceram de que Jesus era o Messias esperado, incluindo chefes de sinagogas, mas muitos outros abominavam a idéia de aceitar um novo pacto entre Deus e os homens.
      Desta forma, é natural que os cristãos necessitavam marcar uma diferença sobre o judaismo, e assim, qual outro dia da semana seria o ideal para se dedicarem a Deus? O dia da ressureição do Senhor, é claro.
      Pense nos inúmeros embates que o próprio Senhor teve com os judeus por causa do sábado. Jesus foi acusado de violar o sábado quando curou. Quanta dureza de coração… quanta hipocrisia.
      A guarda do domingo foi uma consequência lógica da necessidade de dizer ao mundo que cristianismo e judaismo eram coisas totalmente diferentes, a Lei, que é o rito religioso, e a graça, que é a entrega do coração a Jesus.
      Você já leu “Poema em Linha Reta” do Fernando Pessoa? Se não leu, leia, porque guardadas as devidas proporções, e excluída a falta de intenção religiosa do poema, Fernado Pessoa descreve exatamente a essência de muitos cristãos de nossos dias. São fariseus que não encontram um meio de apasiguar o coração; que não se conformam com a sua inutilidade cabal, e desta forma inventam a necessidade de leis para justificar a salvação, onde o sábado é uma delas.
      Diga lá o que pensa e fica com Deus.

      • dayane

        Bem o que eu penso é bem simples! A bíblia está repleta de leis; leis cerimoniais, lei disso, daquilo, e também temos a lei moral, que foi dada a moisés no monte sinai! para mim já ficou bem claro que o desejo da humanidade em abolir a lei de Deus é justamente por causa desse pequeno mandamento: ¨guardar o sábado¨. Pra começar o sábado já tinha sido instituido bem antes de moisés existir; Quando Deus terminou a obra da criação ele abençoou e santificou o dia 7°, Deus ainda explica que Ele como criador descansou nesse dia! Outra coisa vocês sempre falam que a lei é de moisés! existiam muitos procedimentos que moisés teve que instituir, poís o povo de Deus passara muito tempo no Egito e tinham aprendido muitos costumes pagãos era um povo de dura cerviz! Mas o que as pessoas não conseguem entender é que os dez mandamentos foi escrito pelo próprio dedo de Deus e entregue a moisés por duas vezes no monte sinai. Os mandamentos não são de moisés, são do proprio Deus! E se a lei de Deus foi abolida não é pecado desobedecermos os outros nove mandamentos! Eu posso matar, roubar, adulterar, dizer falso testemunho,etc…( Essa lei foi dada para o Israel antigo). Agora eu entendo que a lei que foi cravada na cruz e que foi cumprida por Cristo, foi a lei cerimonial! aquela em que era necessário matar o cordeirinho para expiar o pecado! Nós hoje não precisamos cumprir tal lei porque Cristo foi a expiaçao pelo pecado de toda a humanidade. A lei de Deus é eterna , imutavél. Antes importa obedecer a Deus do que a homens! Esse meu comentário não tem nada a ver com as matérias que tem no site, por sinal são muito boas! Deus o abençoe e continue lhe concedendo sabedoria para escrever e pesquisar materias tão interessantes!!!

      • Danilo Cavalheiro

        Caros:
        Os comentários abarcam muitos assuntos, de modos que fica difícil comentar bem cada um de uma maneira mais completa.
        Primeiro O novo e o velho testamento dizem muito mais aos pactos do que propriamente as duas partes da biblia. A palavra de Deus é uma só representada simbolicamente pelas duas testemunhas, pelo dois raminhos, pelos dois tubinhos que vertem óleo. Não há autorização de descontinuidade geral ampla e irrestrita como comumente é argumentado. Por exemplo o novo testamento estava sendo escrito e Pedro falou do velho como uma luz. 1 Pedro 19-21
        Quem diz que o sábado foi escrito só para os judeus, certamente não leu Isaias 56, que fala aos estrangeiros. Nele fala da casa de oração para todos os povos que Jesus cita em Marcos 11:17. Quanto a lei, o que Jesus disse dela? Em Mateus 5 Ele realçou a lei, esta lei moral onde esta os dez mandamentos, conforme Êxodo 20. Também Ele não veio para destruir a lei, mas cumprir.Noutro lugar Ele disse que o sábado foi feito por causa do homem. Então enquanto existir o homem existira o sábado
        Se Jesus tivesse abolido o sábado em vida, as mulheres teriam visitado o sepulcro neste dia conforme Mateus 28:1. Se depois de sua morte e ressurreição ele tivesse abolido o sábado Ele não teria citado Mateus 24:20
        Quanto a Ele não guardar o sábado é uma enorme mentira, pois neste caso teria pecado. Não obstante sempre foi retratado na Palavra de Deus como o cordeiro sem macula. Êle mesmo falou quem pode me provar de pecado? Os escribas sempre buscaram condenar Jesus pela lei, observando porém suas tradições (aplicavam a lei por excesso, baseados nas suas doutrinas de homens.) Temos que observar ainda que a mudança dos tempos e da lei já tinha sido profetizado em Daniel 9:25
        Quanto a curar nos sábados é trabalho espiritual e não laboral. Enquanto o primeiro é livre, o segundo é para ser observado. O que não foi revogado esta vigente e o que esta entre os dez (se violar é culpado de todos). Portanto matar, roubar, não guardar o sábado… Tem a mesma pena. Portanto o fim da lei (de sacrifícios e holocaustos de animais e de pessoas (por apedrejamento) é Cristo para todo aquele que se arrepender, se converter e guardar os mandamentos. Quem me ama. Guarda os meus mandamentos… No caso da mulher adultera podemos ver a lei e graça. A mulher foi liberada do apedrejamento (penalidade da lei) porém foi mostrado a necessidade de observar a lei. João 8:10-11
        Quanto a lei cerimonial muitas caíram como a da circuncisão. Esta porque conforme profetizado, a lei não seria mais escrita em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne de vosso corações. (A mesma Lei)
        Daniel 9:27 cita que na metade da semana cessaria o sacrifico e a oferta de cereais (pela morte de Jesus). ISto teve pelo menos duplo cumprimento. Na quarta feira e após o seu ministério de 3 anos e meio.
        Também a questão dos aromas, após a morte de Jesus no dia 14 de nissan, quarta feira, passado o sábado (Pascal, do dia 15, quinta feira) elas prepararam aromas, isto é na sexta feira. Noutro lugar diz : preparam aromas (na sexta) e no sábado descansaram conforme o mandamento. As duas passagens evidenciam os dois sábados o da Páscoa e o do mandamento.
        Que colocação dura e colocar que a justificação é pela lei. E claro que e pela graça de Jesus. Não obstante o maior dos mandamentos, o amor de 1 corintos 13 e esclarecido pela observância dos mandamentos 1 João 5:3
        Queres tu entrar na vida, observas os mandamentos.

  3. Oi Dayane, alguns comentários:
    Lei de Moisés deve ser entendida como uma expressão que se refere à toda à lei que Deus ordenou através de Moisés, os dez mandamentos e os outros 603, todos eles instruídos por Deus e não por vontade de Moisés.
    Veja também que num sentido prático a Lei não foi abolida por Jesus, mas agravada, como se vê no Sermão da Montanha: Não adulterar foi agravado com a compreensão de que o adultério pode ser praticado por pensamento, assim como não matar foi agravado com o adendo de que “qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo”, etc.
    Quanto ao sábado, em Mc 2:23, quando os discípulos foram acusados pelos fariseus de colher espigas, Jesus não disse que os fariseus estavam errados, porque de acordo com a Lei eles estavam certos, mas também não condenou os discípulos, e lembrou-lhes que Davi também violara o sábado, e concluiu dizendo que “o sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.”

    Mateus explora mais o assunto reportando as palavras de Jesus: “não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo. Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor.” (Mt 12:5-8)

    João 5 reporta a ocasião em que Jesus curou o paralítico de Betesda num sábado e que por esta razão eles procuravam matá-lo. O que Jesus lhes respondeu? “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.” (Jo 5:7)

    Acho que estamos falando a mesma coisa, apenas a minha compreensão é de que o sábado não tem esta importância que você enfatiza. Se tivesse, deveríamos estar pregando não o Evangelho a Graça de Deus, mas a guarda do sábado; não deveríamos pregar que é pela graça que somos salvos, mas pelo respeito ao sábado.
    A igreja primitiva, começando por Pedro, Paulo, Tiago e os demais apóstolos tinham esta compreensão e aceitaram a troca do sábado pelo domingo, porque sábado era um dia profundamente enraizado no judaísmo, e a mudança foi consequência de mostrar a diferença entre as duas coisas.

    • dayane

      oi, cronologia!
      Na minha opinião, o que o mundo cristão hoje não consegue entender é justamente isso! Deus istituiu o sábado para ser uma bençaõ para o homem( o sábado foi feito por causa do homem), mas infelismente os lideres judaicos tranformaram o sábado em algo enfadonho e pesado com tantas regras e algo mais! Cristo então veio e fez uma reforma na guarda do sábado! Nos ensinou a forma exata de como deveríamos guardar o sábado! Em isaias 58: 13,14 nos diz que nesse dia devemos nos esquecer dos nossos proprios interesses, e não que não podemos tomar banho, cuspir no chão para naõ fazer lama, andar até certo ponto, etc… Esse tem que ser um dia em que nos esquecemos de nós mesmos dos nossos negócios, daquilo que representa interesses mundanos, poís o Senhor nos dá 6 dias na semana para realizarmos todas essas coisas! Agora a verdadeira forma de guardar o sábado e justamente aliviar o fardo da humanidade! Curar, pregar, visitar enfermos, atender às necessidades dos aflitos, está inteiramente relacinados com os interesses divinos! Não estou dizendo que só devemos fazer isso no sábado! Isso deve ser uma prática diária de todos os seguidores de Cristo! Mas durante a semana atarefada não conseguimos nos dedicar inteiramente a isso! Por isso o sábado é um dia ideal para isso! Nos dedicamos 24 hrs a isso! Eu ainda não li em nenhum da biblia dizendo que Deus o autor do sábado mudou o sábado para o domingo! Pelo o que eu sei quem mudou o sábado para o domingo foi a igreja católica! E até aonde eu sei todos os discipulos e até mesmo o proprio Cristo guardava o sábado! As escrituras estão repletas de citações falando à respeito do sábado, não é necessário eu citá- los aqui poís eu tenho certeza de que você os conhece bem! Não estou aqui dizendo que só será salvo aquele que guarda o sábado, poís a nossa salvação foi nos dada de graça! Mas os salvos obedecem Àquele que os salvou! Custe o que custar obedeceremos por que amamos o nosso salvador! E só estou enfatizando demais o sábado porque é um ponto de discussão no mundo religioso! Peço que busque mais informações á esse respeito e concerteza você irá descobrir muito mais!!! A paz de cristo eteja sempre com você!!!

  4. Bem, Dayane, pelo que entendi você não está disputando a questão da guarda do sábado, mas defendendo o adventismo. Você deve ser adventista, certo?
    Se for este o caso não vamos chegar a nenhuma conclusão.

    • dayane

      Bem,cronologia! Eu não estou aqui defendendo nenhuma instituição religiosa! mas aquilo que está contido no ¨Assim diz o Senhor¨! Mais importante do que defender pontos doutrinários de instituições religiosas, é termos a escrituras e somente as escrituras como nosso guia seguro! Eu não posso de forma alguma acreditar nos escritos sagrados e querer omitir fatos importantes que Deus tem revelado ao homem! Porque tudo o que dantes foi escrito, para o nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança.(Romanos 15:4)
      E só para causa de conhecimento: Quando o Eterno Deus restaurar este planeta onde viveremos eternamente, será o Sábado, shabat, descanso… e não o Sunday (dia do sol – adorado pelos antigos pagãos) que será o dia a adoração ao Eterno pelo séculos dos séculos, desde a menor particula até o mais vasto universo reconhecerá que Deus é amor e que sua Lei é PERFEITA!

  5. Danilo Cavalheiro

    Quando a Biblia cita que não foi a morte mas o sepultaremos de Jesus que da inicio a contagem dos 3 dias e três noites e isto aconteceu ao anoitecer, fica difícil definir que a contagem iniciou-se no fim da luz da quarta ou no inicio da noite de quinta. Falando em simbolismo, sua ressureição seria mais para indicar sua ressureição mais para o sábado do que para domingo. As mulheres voltando dão funeral disse que já havia escurecido. Isto parece indicar que antes não era. Devemos lembrar ainda que o objetivo de José de Arimatéia era sepulta-lo antes de iniciar a Páscoa , conforme estava na lei dos judeus. Presume-se ainda por questão de justiça de Deus para com ele , que tenha logrado êxito. Tudo foi facilitado, em tempo, em dêslocamento conforme citado nos comentários. Ainda existia uma caverna próxima, de modo que o, digamos, cortejo fúnebre não foi longe, minorando ainda mais o tempo. Considerando o conceito de tempo corrido e contando apenas o dia de maneira inclusiva teríamos que venceria o tempo na manha de sábado. Não contado, em tempo corrido teríamos também o sábado ao por do sol. Não obstante quando as mulheres foram de madrugada ele não estava mais, já havia ressuscitado. Isto é, na parte clara do domingo ele não ressuscitou.
    Nos parece como mais provável a sua ressureição no dia de sábado.
    O glorioso dia da ressureição do Senhor Jesus.

  6. roberto

    Roberto
    oque eu pensodo do sabado esta escrito no livro de atos
    cap:15,1Então alguns que tinham descido da judéia ensinavam
    assim os irmãos: se vos não circuncidarde,conforme o uso de
    moisés não podeis salvar-vos.
    cap15,5Alguns ,porem,da seita dos fariseus, que tinham crido,se
    levantaram,dizendo que era mister circuncidá-lo e mandar-lhe
    que guardassem a lei de moisés.
    cap:15,28,29Na verdade pareceu bem ao Esperito santo e a
    nois não vos impor mais encargo algum,senão estas coisas
    necessária.Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos
    idolos,e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação:das
    quais coisas fazeis bem se vos guardardes.Bem vos vá.
    nois estamos debaixo da graça de nosso senhor Jesus Cristo
    “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento; e o segundo, semelhante a este é: Amarás teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a lei e os profetas.”
    Pra mais informações leia o livro de atos cap15 todo amém.

  7. Antonio Tadeu da Silva

    Dou glórias a Deus por tudo isso!
    Quero em verdade e em nome do senhor e salvador Jesus, dizer-lhe que José de Arimateia e Nicodemos eram conhecedores das ordens de Deus em Deuteronômio capitulo 21 versículo 22 e 23 que diz que todo o homem que for crucificado, deverá ser sepultado no mesmo dia, ou seja, antes do por do sol, isso fez com que eles rapidamente pedissem o corpo de Jesus a Pilatos, acelerassem nos procedimentos de costume e sepultassem o corpo antes que terminasse a quarta feira, para que se cumprisse as escritura, (até que o céu e a terra passem , nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra Mt.5;18) e (a escritura não pode ser anulada Jo.10;35), sabendo- se que o nosso Senhor ficou 72 horas exatas no túmulo ressuscitou ao por do sol do Sábado semanal.
    Nas primeiras horas após o sábado semanal as mulheres foram ao sepulcro e o anjo falou que ele já havia ressuscitado como havia dito, três dias e três noites após o seu sepultamento, a saber, quarto dia da semana antes do por do sól.
    Ele firmará um concerto com muitos por uma semana, na metade da semana fará cessar os sacrifícios e as ofertas de manjares, Dn.9;27a; Portanto do quarto dia em diante não se oferece sacrifícios no altar.
    Ele é o alfa porque foi separado como cordeiro de Deus desde a fundação do mundo, é o Omega porque consumou tudo ao por do sol do ultimo dia (sétimo) não existe o oitavo dia, ( Deus te esclarecerá); alfa e Omega, o princípio e o fim; para o sistema criado por Deus um dia é como mil anos e mil anos é como um dia.
    Deus é imutável, em se tratando das leis que compõe o reino de Deus tudo continua como antes (os 10 mandamentos são eternos); Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar e nada se lhe deve tirar. E isso faz Deus para que haja temor diante dele Ec.3;14. Em verdade, em verdade vos digo que, naquele fruto que Adão comeu já continha as leis do reino de Deus.
    Todo o homem que é nascido de Deus não transgride os seus mandamentos IJo.3;6-9, enquanto que o homem natural não se sujeita a estas ordens Rm.8;7.

  8. Renata

    Bom dia,
    Este site têm sido uma bênção para mim e tenho os mesmos pensamentos que você quanto à guarda do sábado. Porém gostaria que me esclarecesse a base bíblica para a informação de que: “A igreja primitiva, começando por Pedro, Paulo, Tiago e os demais apóstolos tinham esta compreensão e aceitaram a troca do sábado pelo domingo”.
    Fica na paz.

  9. Oi Renata, tudo certo?
    Você vê que os comentários que são feitos a respeito sobre a questão do Sábado são todos denominacionais, ou seja, os adventistas defendem o Sábado, que é uma doutrina fundamental deles, e outros o Domingo, pela mesma razão.

    Além das poucas referências que temos no Novo Testamento de que a Igreja guardava o Domingo, acho que o principal é buscar a lógica disto: o Sábado era dia dos cristãos irem às sinagogas pescar discípulos para Jesus, como fazia Paulo. Não era aquele dia reservado para o culto, mas dia de pesca. Acho que toda argumentação a este respeito foi feita no mesmo texto que você cita.

    Vejo que você é uma pessoa que busca conhecer a Deus profundamente. Então, tenha em mente, enquanto você busca o conhecimento bíblico, que tudo o que aprendemos na Escritura objetiva nos dar força para vencer o pecado e que tudo o que aprendemos na Bíblia deve ter por objetivo nos ajudar a anular o ego. Jesus disse (Mateus 16:24) que quem quisesse segui-lo deveria renunciar a si mesmo e tomar sobre si a sua cruz.
    As questões periféricas a isto, como o dia da guarda, a forma de batismo, etc, não são importantes. É preciso ter uma posição firme com relação a todas elas, mas é mais importante não se prender a isto, e buscar aprender o que é fundamental. Guardar o Domingo, no caso, é a escolha dos apóstolos e da igreja primitiva, e por isto é o que fazemos. Guardar o Sábado é legalismo.

    Observe, pelos comentários das pessoas, que muitas são adeptas a alguma religião, e não ao Evangelho. Defendem pontos de vista de suas denominações, mesmo tendo que ir contra o que ensina a Bíblia. Isto se chama religião. Os fariseus, no tempo de Jesus, eram isto: religiosos. Digo sempre que a religião e a tradição são as duas maiores portas de entrada do inferno.

    A religião nos afasta de Deus e nos prende a uma rotina de gastar tempo com coisas sem valor. Empenhe-se no que é fundamental porque vivemos num tempo muito próximo à volta de Jesus.

    Então, estude a Bíblia, como você tem feito, buscando sempre usar o que aprende para chegar à perfeição: anular-se e deixar o Espírito Santo dirigir a sua vida. É só isto que precisamos.

    Se você tem algum conhecimento de inglês, recomendo ver as pregações do irmão Zac Poonen que ensina exatamente isto. É um homem de Deus de verdade.

    Fica com Deus.